Liga da Justiça: versão de Zack Snyder

Anúncios

Pois é… Depois de anos suspeitando da existência de Liga da Justiça, mas na visão de Zack Snyder, finalmente chegou o momento em que o filme é lançado. Valeu à pena o movimento pela luta de inaugurar a versão do diretor? Eis uma grande questão…

Porém, antes de prosseguir e responder à pergunta… Liga da Justiça de Zack Snyder, conhecido como SnyderCut, é dirigido por Zack Snyder (300) e estrelados por Ben Affleck, Henry Cavill, Gal Gadot, Ray Fisher e Ezra Miller.

A sinopse do filme: Depois do evento de Batman vs Superman, Bruce vai atrás dos meta-humanos para proteger à Terra, pois tem pressentimento de que algum mal está vindo.

Não se assustem, a sinopse é o resumo do resumo, da narrativa. É descrito “narrativa” anteriormente, porque a história é a mesma que foi apresentada no filme da Liga da Justiça (2017), de Joss Whedon, mas à maneira que à história parte do ponto A ao B é diferente. Na versão de Snyder, o jeito de contar acontece na velocidade que deve ser, não é frenético, é calmo em muitos momentos para demonstrar o motivo de todos os personagens lutarem contra o mal (Lobo da Estepe). Mas é claro, para quem não gosta do Zack Snyder (por causa das suas características) ou não é fã de histórias de heróis, sentirá cansaço ao assistir o filme, pois o começo é lento, demora para avançar, contudo faz sentido em ser lerdo, pois os realizadores querem que os expectadores tenham empatia, pelos heróis (e funciona).

Juntamente com à narrativa, outra coisa que dá mais sabor as circunstâncias da obra, é a trilha sonora. As músicas de fundo, são essências para entender os sentimentos dos personagens, à gravidade da ameaça… Quando o Lobo da Estepe aparece pela primeira vez, toca uma música com ar de “chegou um desconhecido”; Mulher Maravilha aparecendo, é executado uma canção épica, de deuses… E isso muito legal.

As cenas de ação são bacanas, épicas (estilo do Zack Snyder). Elas são memoráveis. No momento que a Liga da Justiça é formada, as ocasiões são muito bem produzidas pelo diretor. Aproveitando, os efeitos especiais estão bonitos, o designer do Lobo da Estepe é sensacional! A armadura do vilão, parece que tem vida própria, porque quando o portador se sente ameaçado, a vestimenta fica espinhosa, e em situações calmo, o traje não fica espinhosa. Ademais, retratando sobre o vilão, ele tem a sua motivação de invadir à Terra, e isso cria camadas para o personagem.

Descrevendo sobre camadas, praticamente todos os personagens têm suas personalidades, e isso é fundamental para tornar o Batman, Superman, Mulher Maravilha e Flash importantes, porque a partir desse ponto, à audiência torce para à equipe vencer do inimigo. Todavia, quem se destaca mesmo, é o Ciborgue. A narrativa avança, quando o Ciborgue faz algo, e essa jogada dos roteiristas, foi muito inteligente e ótima escolha.

Então… Liga da Justiça de Zack Snyder, é bom? Para quem estava querendo assistir a versão de Snyder, visualizar o que o diretor tinha a oferecer, e gosta dos trabalhos dele, é fenomenal. Contudo, quem não aprecia os serviços do Zack… Aguentar 4 (quatro) horas vai ser difícil.

Anúncios

Autor: Evandro Canuto de Sa

Olá, como estão leitores, todos ótimos? Acredito que estão. - Revelando [um pouco] o meu ser, eu nasci no ano de 1999, na cidade de Bauru-SP. Atualmente, estou cursando jornalismo, um curso que está ligado aos meus hobbies e amo jogar. Ademais, gosto e muito de aprender, pois quanto mais conhecimentos, novas portas são abertas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s