Legião Urbana – Hoje a noite não tem luar

Anúncios

Alguns meses atrás, foi disponibilizado um texto de interpretação musical, da banda de rock brasileira, surgida no ano de 1982 (se não viu, clique aqui para conferir). Na escrita citada anteriormente, o compositor comenta sobre o amor próprio, e nesta música (Hoje a noite não tem luar), Renato Russo fala sobre o amor, especificamente o lado positivo e negativo e é muito interessante.

Antes de partir para a interpretação, é necessário saber o que ocorre na história da canção: primeiramente, a mulher passou ao lado do homem e o humano disse: “Oi, Amor. Você está tão sozinha […]” e ela sorriu; a partir deste ponto, a história conta o momento da felicidade do amor. Porém… Depois de alguns dias, a mulher foi embora, simplesmente sumiu e o homem foi atrás, mas não conseguiu encontrar a sua amada.

Parece simples a música, mas felizmente é profundo. No início, é demonstrado o momento que os humanos se conheceram; curiosamente, depois que o “Cupido atirou à flecha”, ambos encontraram o motivo de dar sorriso (encontraram a felicidade). Interessantemente, o que foi citado anteriormente, possui uma certa semelhança à filosofia do amor de Sófocles (Filósofo grego de 497 à 406 a.C), pois ele diz que o amor nos liberta, e sabemos que o sorriso só vem quando a alma, está dançando no meio da tranquilidade e paz. Interessantemente, avançando na letra da música, a melodia escrita demonstra o segundo encontro e neste momento, ambos acreditavam no potencial da dupla romântica formada, chegando dizer que o mundo girava em torno deles; isso nos leva à uma expressão de Nietzsche, sobre amor: ele diz que tudo que é feito por amor, não é feito racionalmente, ou seja, o que eles (casal) disseram e pensaram, exibe que estavam dominados, pelo sentimento amor. Até aqui, foi apresentado o lado bom… Contudo… Eis que o momento ruim chega… No final da canção, o homem acorda e… Cadê a sua amada? Simplesmente sumiu. O motivo do sumiço não sabemos, mas ela desapareceu… Supondo que ela largou o homem, porque achou outro cara mais bonito (ou mais rico), nos direciona à sabedoria do Confúcio: não achei uma pessoa que ame à virtude, do que beleza corporal. Outro ponto, se ela acreditava no potencial, por que foi embora? Interessante…

É observável, perante à história da música, que o amor é indeciso, pois é capaz de fazer belas obras, todavia, também tem capacidade de destruir uma relação, que se dependesse da razão, seria muito boa para ambos humanos (pois reconheceriam o valor de cada um), da letra da canção.

E aí, o que vocês acharam da interpretação? Aliás, qual é a sua interpretação? Comenta para trocarmos sabedorias. – Fique à vontade 😉

Anúncios

Autor: Evandro Canuto de Sa

Olá, como estão leitores, todos ótimos? Acredito que estão. - Revelando [um pouco] o meu ser, eu nasci no ano de 1999, na cidade de Bauru-SP. Atualmente, estou cursando jornalismo, um curso que está ligado aos meus hobbies e amo jogar. Ademais, gosto e muito de aprender, pois quanto mais conhecimentos, novas portas são abertas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s