Capitão América – O primeiro vingador

Primeiro filme na linha cronológica do universo Marvel (Até o momento), é dirigido por Joe Johnston (Jurassic Park 3), estrelados por Chris Evans (Capitão América 2 – Soldado Invernal), Harley Atwell (Agent Carter), Sebastian Stan (Capitão América 2 – Soldado Invernal) e Hugo Weaving (The Matrix).

Descrevendo a sinopse, o filme se passa nos anos 40, quando o mundo estava em guerra; – após várias tentativas para entrar no exército, é oferecido para Steve Rogers, o soro do super soldado e ele aceita, tornando Capitão América. Por causa do efeito do soro, Steve decide tirar o mundo, das mãos do grupo extremista, Hydra.

Por ser um filme de herói e se passar nos anos 40 (Período da guerra), poderia ser mais um filme do gênero; porém infelizmente, é mais um filme, contudo, felizmente, “Capitão Amética, o primeiro vingador” contêm elementos únicos; exemplificando, a produção soube colocar momentos leves no time certo, onde nos faz rir sem se desconectar com o filme, isso é muito bom. Tudo que há nos filmes de herói e de guerra, o longa possui, e esse cuidado deixa a audiência, focado no projeto.

As cenas de ação, são bons, pois o diretor soube utilizar inteligentemente a câmera, deixando a câmera parada, sem tremedeira, nos ajudando ter mais envolvimento com o filme e o ambiente. Novamente, nas cenas de ação, Joe Johnston fixa a câmera, nos permitindo entender o que está acontecendo, porém, há cortes, todavia não afeta a experiência. Outro ponto a elogiar, é a estética e diegese do filme, entregando o peso dos acontecimentos, da guerra e, os efeitos sonoros (A trilha também conta) nos ajuda, a adentrar no mundo que está sendo exibido e isso é bem trabalhado.

A obra cinematográfica possui outra peça, fundamental para o longa, o vilão. O personagem interpretado por Hugo Weabing é muito carismático quanto o autor, e em todas as cenas, o antagonista se sai bem, dando gosto de quero mais; com poucas cenas em telas, o vilão é capaz de mostrar o estrago que ele é capaz de fazer, portanto, consequentemente, faz com que o nível de ameaça diminua, o que não é bom.

O parágrafo acima demonstra (Principalmente o final), que o filme não é perfeito, e possuí substância que afeta negativamente o filme, o CGI. O CGI deixa de desejar, infelizmente, e há momento que dá a impressão de estar vendo uma cutscene, de um jogo. Outro erro que é frequente, é “erro – lógico”, onde não faz sentido a sequência lógica da cena, e do ambiente.

Para a nossa felicidade, esses erros não nos distrai tanto, porque “Capitão América, o primeiro vingador” é um filme divertido, que nos dá experiência bacana e que ficará na memória de muita gente. Há seus erros, mas não é o suficiente para tirar o mérito do filme.

Autor: Evandro Canuto de Sa

Olá, como estão leitores críticos ? Revelando (Pouco) o meu ser, eu nasci em 1999, na cidade de Bauru-SP. - O que levou eu criar esse site, foi pelo gostar de escrever textos que estimulam, o senso crítico e criatividade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s